vazio

Espaguete de Pupunha ao Molho Crapese

Ingredientes

400g de palmito Pupunha (porção basal)
5 col. (sopa) de azeite extra virgem
2 ramos de manjericão (só as folhas lavadas)
100g de mussarela de búfala
100g de tomates cereja ou pêra (este último dá um toque mais adocicado e menos ardido)
1 col (chá) de sal
Parmesão ralado (para servir a parte)

Modo de Preparo

Desfiar o palmito pupunha em um ralador ou mandolin

Separe algumas folhas de manjericão para decoração e inicie o preparo masserando em um bowl (pequena tijela/recipiente) o manjericão restante em 3 colheres de azeite.

Corte os tomates na metade (sugiro na diagonal para ficar mais atraente) e reserve. Corte as bolinhas de mussarela  também em duas partes e reserve-as em outro recipiente.

Em uma panela grande, aqueça o azeite aromatizado com o manjericão junto com as folhas que ficaram nele. Acrescente a pupunha desfiada, o sal e refogue por cerca de 10 minutos ou até os fios ficarem macios, mas sem parar de mexer. Acerte o sal se necessário, mas lembre-se de não salgar demais para deixar a possibilidade de uso do parmesão servido a parte.

Já no final do preparo junte a maior parte da mussarela, deixando algumas para colocar por cima do prato. Mexa rapidamente sem deixar que elas derretam. Apague o fogo.

Montagem do prato

Com uma colher grande sirva em um prato a metade da pupunha enrolando-a com um garfo da mesma forma que os italianos comem seu espaguete. Começe a salpicar metade dos tomates e a metade das mussarelas reservadas por cima do espaguete. Inclua agora a outra metade das folhas de manjericão reservadas para decoração. Por fim, regue o espaguete com uma colher de azeite extra virgem puro e frio.

Sugestão

Sirva a pupunha quente. Esse prato poderá ser servido como uma janta leve, como uma entrada, ou acompanhado de um bom medalhão de mignon.

Caloria por prato: 385 (sem o parmesão)
Se agregar 150g de medalhão de mignon grelhado seu prato terá 565 calorias.

Informações sobre a pupunha

Acredito que um pouco de conhecimento sobre os ingredientes e/ou prato que preparamos dá todo um glamour  na hora de degustá-los entre amigos e familiares. Desta forma, podemos agregar ainda mais valor ao evento e às pessoas presentes ao explicarmos o delicioso prato, o ingrediente principal e sua origem..

Seguindo essa linha de pensamento, resumi qualidades da Pupunha que tem sido a solução ecológica para o consumo de palmitos no Brasil e fora dele, é um excelente produto em termos financeiro e comercial para pequenos, médios e grandes produtores e ainda agrega sabor e baixíssima caloria aos nossos pratos.

A maioria dos palmitos que consumíamos no passado eram provenientes das palmeiras nativas Açaí e Juçara, que são exploradas em sua maioria de forma extrativista e predatória – devastando florestas. Já a Pupunha apresenta diversas vantagens em relação ao aspecto ecológico e econômico, uma vez que é produzida através de cultivo e replantio. O palmito pupunha pode ser extraído na metade do tempo em relação aos nativos e com uma qualidade excepcional – representando maior lucratividade para o produtor. Também proporciona vários cortes antes de seu replantio. Isso tudo já seria suficientemente positivo, mas não para por aí.

O fruto da pupunheira também pode ser utilizado em geléias, polpas, sucos, sorvetes etc. É bom, não é? Mas ainda tem mais. A casca (ou ripas) da palmeira também são aproveitadas na confecção de compensados e móveis. É um material de altíssima qualidade, resistente e de superfície lisa, qualidades que lhe renderam um dos mais importantes prêmios de design do mundo no ano de 2005 – na categoria de novos materiais.

Chef Alexandre De Divitisreceitas

banner4